NOTÍCIA

MEI ! cuidado, querem roubar você

O MEI ultrapassou a marca dos 10 milhões de microempreendedores, e sua criação teve como objetivo diminuir o número de empresas da informalidade com uma menor burocracia. Mas estes novos empresários precisam estar atentos aos golpes que estão sendo aplicados contra eles. Empresas na internet usando quase o mesmo nome do site oficial do governo, oferecem exatamente os mesmos serviços cobrando taxas de R$ 198,00 até R$ 349,00 reais por um serviço colocado a disposição pelo governo.  Tem ainda o golpe do boleto de cobrança que chega pelo correio, que ainda enganam muitos empreendedores. Saibam que o MEI tem um único pagamento a fazer que é o do DAS mensal, emitido exclusivamente  pela Receita Federal. Além disso o MEI não é obrigado a se filiar a nenhuma instituição ou pagar boletos enviados pelos Correios ou por links de seu celular, por instituições, associações e/ou sindicatos. Outra situação que “armam” para o empreendedor são as mensagens enviadas por e-mail em nome da Receita Federal  informando irregularidades  nas declarações de renda ou  nos pagamentos mensais, mas a Receita Federal avisa em suas páginas que não envia mensagens por e-mail sem a autorização do contribuinte, nem autoriza terceiros a fazê-lo em seu nome.  Esses e-mails fraudulentos visam obter, ilegalmente, informações fiscais, bancárias e cadastrais de contribuintes e ao clicar em links ou baixar anexos, você terá seu computador infectado por vírus e programas que permitem acesso ilegal aos seus dados. Agora a mais nova ação colocadas na praça para enganar os   pequenos empresários são empresas de registro de marcas e patentes que entram em contato via WhatsApp ou até diretamente por telefone e informam  que o  registro de seu nome de fantasia está em risco pois  outra empresa está neste momento “roubando “  a marca da sua empresa, e rapidamente enviam o boleto de cobrança, uma procuração e um contrato assinado com todos os dados do MEI com valores que  chegam a R$3.000,00 reais em suaves prestações. O que resta ao MEI nestas situações é ficar alerta, e sempre procurar a polícia, fazer a ocorrência, ou procurar o SIMPI que deixa assessoria jurídica a disposição para esses casos.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn