Mais de 10.100 empresas de Mato Grosso foram excluídas do Simples Nacional

Empresas com sede em Mato Grosso optantes do Simples Nacional que estavam inadimplentes com a Receita Federal e com a Procuradoria-Geral da Fazenda foram excluídas do Simples, o regime fiscal especial para micro e pequenas empresas. Em toda região centro-oeste foram excluídas mais de 32 mil empresas e no país mais de 521 mil.

Técnicos da Receita Federal avisam que mesmo sendo excluída do sistema, a empresa continua existindo e com o CNPJ ativo, e nesta condição é obrigada a pagar todos os tributos federais, estaduais e municipais, exigindo um controle contábil fiscal mais complexo e muito mais rígido. Dirigentes das entidades de representação do segmento econômico, reclamam que a situação atual destas 521 mil empresas entra em rota de enormes dificuldades econômicas e financeiras e que a economia do país sofrerá um baque. O presidente do SIMPI MT, João Carlos Laino reclama das dificuldades que estamos passando, e diz “A culpa não é nossa, pois os desentendimentos políticos é que levaram o país a maior recessão de sua história. É difícil entender a contradição do Estado brasileiro, que necessita gerar empregos para fomentar o consumo, atrair investimento e melhorar a arrecadação, ficar ao mesmo tempo criando dificuldades para as empresas e empurrando milhares de famílias para a informalidade na melhor hipótese”. E completa “dados da receita citam o total de débitos dos pequenos em R$ 14 bilhões, valor muito menor que os desvios estimados de uma só empresa estatal que foi o da Petrobras”. Resta agora ao micro e pequeno em um período muito curto para regularizar os débitos de todos os tributos. No caso dos tributos federais, ele pode regularizar tudo pelo centro de atendimento virtual na página da Receita Federal. Uma vez regularizando, o micro e pequeno pode regressar sem nenhum problema.

Compartilhe: