IMPORTANTE: Micros e Pequenas empresas ganham mais um forte apoio da Frente Parlamentar

Todas as micros e pequenas empresas ganham, a partir deste mês, novo reforço no Congresso Nacional, na luta por leis que assegurem a manutenção e crescimento de um dos setores mais importantes da economia. A confiança do segmento é a adesão do deputado federal Coronel Chrisóstomo à Frente Parlamentar Mista em defesa da Micro e Pequena Empresa.

A adesão de Chrisóstomo foi assinada na última sexta-feira (06), na sede do Sindicato da Micro e Pequena Indústria (SIMPI), em Porto Velho. De acordo com o presidente do SIMPI-RO, Leonardo Heuler Calmon Sobral, a Frente existe desde 1998 e vem atuando na defesa dos interesses dos micros e pequenos empreendedores. Nesta legislatura, o grupo pretende, entre outras iniciativas, aperfeiçoar o arcabouço legal para tornar mais simples abrir, encerrar e administrar uma pequena empresa, assim como atuar fortemente na reforma tributária, explica Leonardo.

Coronel Chrisóstomo atendeu a um convite do presidente Leonardo Sobral e diretoria da Federação Estadual das Entidades de Micro e Pequenas Empresas em Rondônia (FEEMPI). O objetivo é discutir no Congresso Nacional ações que beneficiam as micros e pequenas empresas em todo o país como a redução da burocracia da carga tributária, entre outros.

Segundo Leonardo Sobral, trata-se de uma das frentes mais atuantes do Congresso Nacional pela causa que nos une. Os ganhos e avanços que tem conseguido são frutos, em todos os momentos, da união de todos os deputados. 

LAPIDAÇÃO

Entre os projetos apresentados pela diretoria do SIMPI-RO está a implantação, de forma urgente, de escolas profissionalizantes e técnicas de lapidação de pedras, já que o minério sai do país sem valor agregado (bruto), com custo ínfimo e retorno pequeno para o minerador/garimpeiro para o Estado e para o país.

Com esse objetivo, foi elaborado projeto para implementação da escola profissionalizante para formação de lapidários para jovens indígenas e demais jovens da sociedade, rondoniense, com investimentos privados e para funcionar também de forma privada.

O projeto prevê ainda a participação na criação da nova escola dos Ministérios da Economia em sua Secretaria de Trabalho, e de Minas Energia, já que faz parte do projeto que os alunos sejam indicados pelos governos municipais, estaduais e pelo Governo Federal, destaca.

Compartilhe: