E o vidro do esmalte?

Boas ideias existem, e a prova disso é que os acadêmicos do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Faculdade Uniron estudam atualmente como solucionar o descarte e a reciclagem de resíduos, especialmente plástico, metal e vidros. Desta maneira, criaram uma startup no segmento de engenharia, denominada “Pé no Saco”.  Segundo os criadores, a nova empresa veio com o propósito de trabalhar para garantir o futuro do Planeta, já que engajará pessoas em novos formatos de ação econômica e social. Numa primeira experiência, os acadêmicos estudam o aproveitamento do vidro de esmalte, que a exemplo de outros vidros, demora mais de mil anos para se decompor, além de conter diversos compostos nocivos à saúde. O cuidado com a beleza é a atividade que envolve um alto número de empreendedores, pois em cada esquina tem um salão e que foi responsável no Brasil em 2017 em vendas de mais de R$ 6 bilhões. Provavelmente, diante desses números, conclui-se que toda mulher tem pelo menos um vidro de esmalte em casa, sendo que a última preocupação é  de onde colocar quando acabar. Onde são descartadas as embalagens desses produtos? – indagamos, nós do SIMPI. Esperamos que os futuros engenheiros ofereçam mesmo uma solução para o grave problema, já que o profissional da beleza, em sua maioria, é micro e pequeno empreendedor.

Compartilhe: